Batata frita é uma delícia, mas a gordura... Só que dá para minimizar o problema de uma forma simples e funcional: Primeiro, você descasca e corta as batatas como de costume ― em rodelas, palitos, meias-luas, etc. Em seguida, em vez de coloca-las numa vasilha e cobri-las com água fria, você as mergulha em leite por cerca de 20 minutos. Quando você as puser para fritar, o leite absorvido irá evitar que elas fiquem encharcadas e gordurosas, tornando-as mais crocantes, saborosas e saudáveis.

A propósito, se você não sabe quando o óleo está na temperatura ideal, de duas uma: ou você mergulha um palito de fósforo no óleo e espera ele acender, ou coloca uma fatia pequena de pão ― se o pão dourar imediatamente, pode seguir em frente com sua fritura, que o óleo está no ponto.  Outra coisa: para evitar que o óleo queime, adicione um dente de alho com casca e tudo. É tiro é queda.

Para concluir, a despeito de eu já ter publicado uma dica para deixar suas fritas sequinhas e crocantes ― como as congeladas ou as servidas na rede McDonald’s ―, não custa relembrar que o resultado se deve em parte ao equipamento utilizado nas lanchonetes, que dá de dez a zero no seu fogão de casa. No entanto, alguns truques simples deixam suas batatinhas bem mais gostosas. Confira:

― Se você for usar batatas congeladas ― daquelas vendidas nos supermercados ―, passe-as em amido de milho ou em farinha de trigo antes de fritá-las, e só as coloque no óleo quando ele estiver bem quente. Concluída a fritura, retire as batatas com uma escumadeira, deixe escorrer bem a gordura e então acomode-as numa tigela previamente forrada com papel toalha, que absorverá o restante da oleosidade. Acredite, funciona.

― Caso prefira batatas comuns, daquelas vendidas a granel em feiras livres e supermercados, escolha as do tipo Asterix ― facilmente reconhecíveis pela casca avermelhada ― ou Baraka ― vendidas ainda sujas de terra; deixe as do tipo Ágata (lavadas) para cozinhar ou usar no preparo de purês, sopas, bolinhos, etc.

Depois de lavar as batatas, descasque-as (há que as frite com casca, mas isso já é outra conversa), corte no formato de sua preferência e cozinhe numa solução de água fervente e vinagre (uma colher de sopa para cada litro de água) por cerca de 3 minutos. Feito isso, passe-as em água fria, seque bem com um pano de prato limpo e mantenha no freezer por cerca de duas horas. Na hora de fritar, depois de aquecer devidamente o óleo, retire meia chávena da frigideira, misture uma colher (chá) de amido de milho, despeje de volta e então coloque as batatas.

― Outra maneira bem legal ― e que, de quebra, faz menos sujeira ― é fritar as batatas numa panela de pressão tampada, mas sem a válvula de segurança. Coloque a quantidade de óleo suficiente para que as batatas fiquem inteiramente cobertas e deixe fritar por cerca de 20 minutos. Ao final, desligue o fogo, retire a tampa da panela e, usando uma escumadeira, transfira as batatas para uma tigela forrada com papel toalha. É batata (com o perdão do trocadilho infame).

Voltando agora à história da casca, você pode evitar desperdício fritando as batatas sem descascá-las, desde que as lave muito bem lavadas ― ou, melhor ainda, corte-as em rodelas ou meias-luas e deixe de molho por 30 minutos numa solução de água e vinagre de vinho branco. Depois é só enxaguar, enxugar e fritar.

Observação: Se preferir, lave bem as batatas, descasque-as frite conforme as sugestões acima, mas não descarte as cascas. Em vez disso, coloque-as de molho na água com vinagre, enxague, enxugue e frite normalmente. Elas ficam crocantes, sequinhas e saborosas (experimente servi-las como tira-gosto nos seus happy-hours e depois me conte).

Era isso pessoal. Amanhã tem mais. Abraços e até lá.