Embora não tenham mais a mesma graça de alguns anos atrás, as reuniõezinhas de final de ano são inevitáveis. E para aturar parente chato, colega de trabalho hipócrita e chefe dono-da-verdade, só mesmo à custa de muito marafo. Mas biritar de estômago vazio acelera a absorção do álcool e o pileque chega mais depressa. Mesmo que você chegue a chamar Jesus de Genésio ou urubu de meu louro, poderá ― e irá, acredite ― deixar escapar um ou outro comentário destrambelhado. E ainda que possa atribuir o “deslize” ao álcool, é bom ter em mente que três coisas nesta vida não têm volta: a flecha lançada, a palavra dita e a oportunidade perdida.

Por essas e outras, belisque alguma coisa enquanto se serve do “manto etílico” para aturar as aborrecidas reuniõezinhas que não puder evitar. E como castanhas, amendoins e batatinhas chips são bombas calóricas ― isso sem mencionar que bebidas alcoólicas, sobretudo batidinhas e misturebas que levam leite condensado ou colheradas de açúcar, também engordam pra burro ―, o tremoço é uma ótima alternativa.

O tremoço é uma leguminosa ― da família da ervilha e da fava ― que tem 6 vezes menos calorias que amendoins, castanhas e batatinhas fritas. O grande problema é que quase 4% da quantidade de tremoço que a gente ingere é puro sal. Isso significa que 150 g do petisco fornecem a quantidade máxima diária de sal prevista pelos caga-regras e patrulheiros da saúde alheia de plantão.

A boa notícia é que basta dessalgar o tremoço, deixando-o de molho em água limpa por algumas horas (e trocando a água de tempos em tempo), para torna-lo mais “saudável”. Perde-se um pouco do sabor, naturalmente, mas... paciência!

O tremoço auxilia na regeneração de células musculares e de outros tecidos, pois possui três vezes mais proteínas que o leite de vaca (15,4 g de proteínas por 100 g de tremoço). Seus altos teores de cálcio, ferro, potássio e vitaminas B e E ajudam a prevenir a osteoporose e outros problemas ósseos. Além disso, por ser rico em ácidos gordos insaturados e ômegas 3 e 6, ser pouco calórico, ter três vezes mais fibras que aveia e o trigo e reter o mau colesterol (eliminando-o pelas fezes), o danado ajuda até mesmo a combater a obesidade. E seu teor de amido, que é bastante reduzido, ajuda a controlar o índice glicémico (regulando a velocidade de absorção de açúcar pelo sangue).

Se, a despeito de tudo isso, você ainda preferir as batatinhas, escolha as do tipo bolinha, em conserva (siga o link http://acepipes-guloseimas-e-companhia.link.blog.br/caderno/batatasbolinha-em-conserva-130080.html para rever minha receita). Ou opte pela famosa “jardineira da vovó” (para mais detalhes, siga o link http://acepipes-guloseimas-e-companhia.link.blog.br/caderno/veja-como-preparar-conservas-de-dar-agua-na-boca-80788.htm).

Bom proveito.