No âmbito do bem-comer, três coisas me marcaram indelevelmente nestas seis décadas de vida: o bife da minha avó materna (que já comentei em duas ou três postagens) e os croquetes de carne e o bauru do rosbife que degustei, ao longo da década de 1980, num restaurante chamado “Leiteria Lírico”, que ficava (ou fica; acho que ele ainda está lá) na rua Libero Badaró, defronte ao edifício onde eu trabalhava naquela época.

Reminiscências à parte, croquete de carne é tudo de bom, até porque nos ajuda a dar um fim (glorioso, diga-se), à carne assada que restou do almoço do sábado, por exemplo, ou às sobras do churrasco de domingo. Confiram, estão, os ingredientes e essa variante da receita (que eu experimentei e achei uma delícia):

― 60 g de manteiga em temperatura ambiente;
― 4 dentes de alho (cortados em lâminas ou picadinhos); 
― 1 cebola grande (picada ou ralada); 
― 50 g de bacon (picado, para facilitar o processamento); 
― 75 g de farinha de trigo; 
― 1 chávena de leite;  
― 2 colheres (sopa) de salsa picada (ou cheiro verde picado);
― Sal, pimenta-do-reino e suco de limão a gosto;

― Farinha de trigo e de rosca (esta última pode ser substituída por pão torrado e ralado); 
― Óleo de girassol para fritar.

Observação: A carne pode ser a sobra que eu sugeri na introdução, naturalmente, mas, na falta dela, compre 1 kg de patinho, miolo de acém ou outra corte magro e passe no processador (com a carne moída na máquina, o resultado não é tão bom).
Misture a carne e bacon e passe no processador. Reserve.

Numa panela, aqueça a manteiga e doure os dentes de alho e a cebola, mexa até aquecer bem, acrescente a farinha e, sempre mexendo, adicione o leite (aos poucos) e a salsa picada. Finalmente, junte a carne processada, tempere com o sal e a pimenta e continue mexendo até que a “massa” do croquete comece a “despregar” do fundo da panela. Desligue o fogo, junte o suco de limão (não exagere na quantidade; 1 limão tahiti deve bastar; se usar limão galego, esprema ao menos duas unidades). Feito isso, deixe esfriar por cerca de 10 minutos.

Com a “massa” já fria, molde os bolinhos no formato de croquete, passe-os no ovo batido, na farinha de trigo, de novo no ovo e então na farinha de rosca (ou pão torrado e moído, que fica ainda mais gostoso). Feito isso, é só fritar em óleo bem quente (use o truque do palito de fósforo), retirar com uma escumadeira, deixar escorrer o excesso de gordura, transferir para uma travessa forrada com toalhas de papel e servir em seguida.