A receita a seguir remete a um delicioso acepipe que eu degustava na "LEITERIA LÍRICO", lá pelos anos 1980. Depois do bauru de rosbife (que eu pretendo compartilhar com vocês oportunamente), era o meu "prato" preferido:

Você vai precisar de 1 kg de patinho ou coxão-mole; 2 batatas médias; 1 colher de sopa margarina; 3 dentes de alho picados; 1 cebola média picada ou ralada; ½ pimentão médio picado; ½ xícara de farinha de trigo e outro tanto de farinha de rosca; 1 xícara de leite; 2 ovos; um pacote (100 g) de queijo parmesão ralado; sal, pimenta do reino, cheiro verde e molho inglês a gosto.

Para o preparo, embora você possa refogar a carne já moída ou aproveitar pedaços de carne previamente assada, eu sugiro temperar do seu jeito o patinho (ou o coxão-mole), dourá-lo e cozinhar na pressão junto com as batatas, esperar esfriar e passar tudo pelo processador (ou moer duas vezes num moedor convencional). Feito isso, coloque a carne e as batatas já processadas numa panela de tamanho adequado com a margarina previamente aquecida e, sempre mexendo com uma colher de pau, junte os ovos, o alho, a cebola, o cheiro verde, o pimentão, o queijo ralado e os demais temperos. Acrescente a farinha dissolvida no leite e continue mexendo. Ao obter uma massa homogênea, apague o fogo e deixe esfriar.

Enrole os croquetes (o tamanho fica a gosto do freguês), passe-os na farinha de trigo, molhe-os numa mistura de ovo batido e água e passe-os na farinha de rosca. Separe a quantidade desejada (guarde o restante no freezer, de preferência num tupperware com tampa), aqueça bem o óleo numa frigideira alta – jogue um fósforo dentro; quando ele acender, é porque já está no ponto –, frite os croquetes até que fiquem bem douradinhos e deixe-os por um ou dois minutos em papel absorvente.

Bom apetite.