Nos dois capítulos anteriores, vimos algumas dicas de como evitar indesejáveis “estouros” durante a fritura de salgados, prevenindo, assim, queimaduras e outras consequências desagradáveis. Neste capítulo, que fecha a trilogia, vamos abrir o foco e contemplar dicas de segurança na cozinha ― cômodo da casa que disputa com o banheiro o primeiro lugar na ocorrência de acidentes (fatais, inclusive). Algumas das sugestões poderão parecer a mais pura exaltação do óbvio, mas é sempre melhor pecar por ação do que por omissão:

― Cozinhar exige conviver com respingos de molho ou gordura, mas você pode resguardar a “beca” que escolheu para receber seus convidados vestindo-a somente quando terminar de preparar a refeição. Na impossibilidade, use um avental de pano ― cozinha não combina com aventais plásticos ou feitos de materiais igualmente inflamáveis. Camisas ou jalecos de manga longa protegem os braços dos respingos de óleo quente, mas modelos largos ou “bufantes” devem ser evitados, por serem mais facilmente alcançados pela chama dos queimadores.  

― Ao fritar bifes, batatas, salgadinhos e congêneres, não os “jogue” na gordura quente; use uma escumadeira ou um garfo de cabo longo para mergulhá-los delicadamente. Além de não sujar demais o fogão, você evitará os respingos que podem queimar sua roupa ou sua pele.

― Frituras combinam melhor com os queimadores da parte posterior do fogão. E se você precisar se afastar da frigideira por alguns segundos, vire o cabo para o centro do fogão. Jamais deixe panelas no fogo ou assadeiras no forno sem supervisão ― bastam alguns minutos ao telefone para o leite derramar, o assado queimar ou coisa pior acontecer.

― Não se faz omelete sem quebrar ovos nem fritura sem engordurar o fogão, mas é possível minimizar o inconveniente com protetores de papel laminado ― jamais forre os queimadores com panos ou toalhas de papel.

― Use pegadores apropriados para manusear panelas quentes ou retirar travessas do forno.

― Se o óleo pegar fogo, desligue o gás e abafe a frigideira ou panela com uma tampa de tamanho apropriado. Jamais jogue água ou tente remover a frigideira do fogão. Em último caso, use o extintor de incêndio.

Panelas de pressão economizam tempo, mas demanda alguns cuidados, tais como dosar o nível da água ― para evitar tanto o ressecamento dos alimentos quanto o transbordamento do líquido ―, manter as válvulas de serviço e de segurança limpas e desentupidas ― se o vapor não sair livremente, há risco de explosão ― e jamais abrir a panela até que toda a pressão tenha saído naturalmente.

― Abra a porta do forno antes de acionar o acendedor ― isso evita que o gás se acumule em seu interior ― e feche-a somente depois de se certificar que os queimadores estão acesos. No caso de fornos de micro-ondas, perfure com um palito quaisquer alimentos com casca ou película (tais como batatas, pimentões, ovos, salsichas, etc.), já que os furinhos liberam os vapores e previnem indesejáveis “explosões”. Para cozimento prolongado, use refratários de vidro, cerâmica ou porcelana ― desde que não possuam enfeites metálicos ou dourados (que podem provocar faíscas).

― Se você não dispõe de gás encanado, mantenha o botijão fora da cozinha (no quintal, área de serviço ou qualquer outro local ventilado, mas coberto e protegido de intempéries). Evite confiná-lo em armários, gabinetes, ou próximos de eletrodomésticos que irradiem calor (como torradeiras, fornos elétricos, etc.). Certifique-se que a mangueira não encoste ou passe perto demais da parte traseira do fogão e rejeite botijões em más condições ou cujos lacres de garantia apresentem sinais de violação.

― Ao substituir um botijão vazio, desligue os botões dos queimadores e use espuma de sabão para identificar possíveis vazamentos — nunca use fósforos ou isqueiros, pois eles potencializam os riscos de explosão. Em caso de vazamento de gás, retire as pessoas do local, abra portas e janelas e entre em contato com o distribuidor ou ligue para o Corpo de Bombeiros (193).